Publicidade

terça-feira, 18 de abril de 2017

Pesquisa da UFRN comprova incidência de câncer pela ingestão de água em Lajes Pintadas

De acordo com a pesquisadora Viviane Amaral, do Departamento de Genética da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), estudos realizados nos principais reservatórios da região semiárida do Rio Grande do Norte revelaram sérios problemas de qualidade de água, incluindo a contaminação por metais. A pesquisa foi direcionada para o município Lajes Pintadas/RN por ser o município com maior incidência de casos de câncer por ingestão inadequada de água, segundo a OMS. Lajes Pintadas e a toxicologia de suas água. No município existem afloramentos rochosos com a presença de ionizantes naturais que liberam o gás radônio e, consequentemente, o chumbo para o ambiente. Além disso, outro dado peculiar é que segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), em 2010, Lajes Pintadas apresentou 415,2 casos de câncer num total de 4.614 habitantes. O número é superior ao registrado na capital do RN, que foi de 353,5 novos casos e tem 806.203 habitantes. Os tipos de câncer mais comuns neste município são os de orofaringe, estômago e pulmão que, de acordo com a literatura, podem estar associados à contaminação por radônio, substância contida na água de algumas regiões do semiárido potiguar. A pesquisa mostra que esta alta incidência de casos de neoplasias na população de Lajes Pintadas pode estar associada à exposição à radiação natural e seus subprodutos como o radônio e os metais pesados que estão em grande proporção presente na água. “Estudos prévios realizados na pesquisa identificaram um aumento na frequência de mutações cromossômicas em organismos indicadores expostos às águas do açude de Lajes Pintadas. Adicionalmente, foram identificados altos índices de radiação em 26 pontos distribuídos ao longo do açude e uma alta concentração de metais, em especial o chumbo”, explicou Viviane. O estudo também expõe que estes valores foram significativamente maiores em períodos de grande escassez hídrica, como demonstrado em uma série de trabalhos que avaliam poluentes em amostras de corpos d’água. Diante desta situação, estudos envolvendo o impacto dos agentes físicos e químicos, presentes nestas amostras de água, na saúde humana são de fundamental importância.
Assessoria do Centro de Bioiência

Nenhum comentário:

Postar um comentário